Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘In Pessoal’ Category

Então é NATAL? E Ano Novo também?

Tem coisa mais chata do que música natalina? Pelo amor de Deus, onde vamos parar?

Meu Feliz Natal no língua afiada vai pra todos…

Feliz Natal – a todas as lésbicas que pensam que são ogros, que não pedem licença, empurram. Que não pedem, gritam no balcão. Que quebram copos e acham que estão com a razão. Eu gosto mesmo é de Lady (GaGa). Eu gosto mesmo é de gente educada.

Feliz Natal – a todos os gays, que acham que são alguma coisa. Todos aqueles que gritam serem donos daquilo. Que usam a célebre frase: Você sabe quem eu sou?
Pelo tom das palavras não deve ser nada, quem é alguma coisa, logo, têm decência.

Feliz Natal – a todos que pensam que são estilistas. Que ditam moda por já ter trabalhado em shopping ou trabalham em agências capengas de moda. Moda é algo tão passageiro e individual que muda em cada estação. Pelo amor de Deus, demitem todas as Mirandas Priestlys homossexuais.

Feliz Natal –  a todos os VIPS da cidade. Que conseguiram pagar pelo menos uma vez a entrada de alguma festa e que prometeram ser fiéis em 2011.

Feliz Natal – aos decoradores que acreditam que balões são decoração de festa.

Feliz Natal – a todos os aproveitadores, oportunistas e mentirosos que criam ou usam situações para tirar vantagem. Que em 2011 sua voz desapareça e o papai Noel te presenteie com um bom livro da literatura brasileira.

Feliz Natal – a todos que pensam que trabalhar na noite é fácil. Que querem entrar no mercado e possuem o rei na barriga. Um beijo a todos que vão entrar no mercado, passar pelo canibalismo homossexual de VIPS e depois fechar.

Feliz Natal – aos queridos DJS. Que odeiam tocar Hits e não entendem que uma festa não é feita só de “colocadas”. Que o papai Noel possa te dar discernimento de mercado e entender que apenas as “suadas” e “saltitantes” estão curtindo seu som e que além do nariz de sua cabine existe um mar de gente que também gostaria de dançar.

Feliz Natal – a todos os “viajantex” que glorificam vibes Paulistas, Cariocas, Candangas, Mineiras, Estrangeiras, a todas que sugam VIPS goianas e vão gastar seus reais no mesmo calor de sempre.

Feliz Natal –  a todos que criticam a arte da cidade, que não conseguem diferenciar GaGa de Mad e Katy de Brity. Aliás, é apenas isto que sabem fazer. Diferenciar o igual, que o Papai Noel traga em seu imenso saco o MAGAZINE do O Popular e gramática básica para que possam ler que nossa cidade  pulsa cultura.

Feliz Natal – a todos que se afundam em pó (Royal) e não conseguem conversar na noite e choram o tempo todo quando amanhece, a todas que chupam doces e não param de empurrar e suar e todas que tomam água batizada e vomitam nos nikes, kildares e pumas da vida. Não solte PUM é proibido! Que o Papai Noel possa te dar uma rolha e um guia prático do viciado. De vez em quando ainda vai, de quarta a domingo falta paciência.

Feliz Natal – a todos que gritam pela igualdade e não conseguem respeitar quem está ao lado. Que Papai Noel possa te dar um banho de “Pó” mágico para que você entenda que assim como no restante do mundo, as pessoas não tiveram as mesmas oportunidades.

Feliz Natal – para pessoas como EU, que precisam em 2011 ter mais paciência com as diferenças. Porque pra se ter tempo pra escrever este tanto de felicitações é porque 2010 aconteceram várias mordidas na língua.

Feliz Natal e um Ano Novo cheio de realizações e que Goiânia possa ser melhor pra você.

Esley Zambel*

Administrador executivo e de produção site SiJoga.com

Ator, produtor e performer

Read Full Post »

Há exatos 370 dias atrás neste mesmo horário estava em uma sala de um hospital com 2 médicos 1 anestesista e 3 enfermeiras.

A  mais intensa cirurgia da minha vida.

O bisturi que percorreu meus membros as mãos que retiram minhas veias não fizeram apenas um procedimento cirúrgico. Este fato mudou minha vida.

A mudança desde o dia 10 de Fevereiro foi intensa.

A vida tem basicamente 2 caminhos de livre escolha.

Um é quase errado – acomodado e alienado.

Um é quase certo –  ousado e liberto.

Não vou relatar os detalhes desta mudança. Nem fazer aniversário de certas datas.

Reza a lenda que não devemos comemorar aniversário de coisas ruins.

Quero apenas dar um conselho.

Mude…

Mas comece devagar,

porque a direção é mais importante

que a velocidade.

 

Sente-se em outra cadeira,

no outro lado da mesa.

Mais tarde, mude de mesa.

Quando sair,

procure andar pelo outro lado da rua.

Depois, mude de caminho,

ande por outras ruas,

calmamente,

observando com atenção

os lugares por onde

você passa.

Tome outros ônibus.

Mude por uns tempos o estilo das roupas.

Dê os teus sapatos velhos.

Procure andar descalço alguns dias.

Tire uma tarde inteira

para passear livremente na praia,

ou no parque,

e ouvir o canto dos passarinhos.

Veja o mundo de outras perspectivas.

Abra e feche as gavetas

e portas com a mão esquerda.

Durma no outro lado da cama…

depois, procure dormir em outras camas.

 

Assista a outros programas de tv,

compre outros jornais…

leia outros livros,

Viva outros romances.

Não faça do hábito um estilo de vida.

Ame a novidade.

Durma mais tarde.

Durma mais cedo.

Aprenda uma palavra nova por dia

numa outra língua.

Corrija a postura.

Coma um pouco menos,

escolha comidas diferentes,

novos temperos, novas cores,

novas delícias.

Tente o novo todo dia.

o novo lado,

o novo método,

o novo sabor,

o novo jeito,

o novo prazer,

o novo amor.

a nova vida.

Tente.

Busque novos amigos.

Tente novos amores.

Faça novas relações.

 

Almoce em outros locais,

vá a outros restaurantes,

tome outro tipo de bebida

compre pão em outra padaria.

Almoce mais cedo,

jante mais tarde ou vice-versa.

Escolha outro mercado…

outra marca de sabonete,

outro creme dental…

tome banho em novos horários.

Use canetas de outras cores.

Vá passear em outros lugares.

Ame muito,

cada vez mais,

de modos diferentes.

Troque de bolsa,

de carteira,

de malas,

troque de carro,

compre novos óculos,

escreva outras poesias.

Jogue os velhos relógios,

quebre delicadamente

esses horrorosos despertadores.

 

Abra conta em outro banco.

Vá a outros cinemas,

outros cabeleireiros,

outros teatros,

visite novos museus.

Mude.

Lembre-se de que a Vida é uma só.

Se você não encontrar razões para ser livre,

invente-as.

Seja criativo.

E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa,

longa, se possível sem destino.

Experimente coisas novas.

Troque novamente.

Mude, de novo.

Experimente outra vez.

 

Você certamente conhecerá coisas melhores

e coisas piores do que as já conhecidas,

mas não é isso o que importa.

O mais importante é a mudança,

O movimento,

O dinamismo,

A energia.

Só o que está morto não muda !

 

Edson Marques

Estou tentando ser o amante de todos os portos, coração navegante de todos os navios. Tenho tentado voar, porque nada é pesado pra quem tem asas.

Predominantemente romântico, tenho acumulado memórias e guardado sentimentos.

Não existem motivos pra chorar, porque no fim não existe nenhuma razão.

Tudo que morre é sagrado e remove as montanhas.

Arrumando as malas, recolhendo o juízo.

Não há lugar melhor no mundo do que a nossa casa do que a casa da gente.

Dica do Post –

 

 

 

 

 

 

Esley Zambel* In Pessoal bem pessoal. {instantes extremos de insana lucidez}

PS: Eu não estou triste e nem  melancólico, hoje estou cansado e reflexivo, resiliente.

Read Full Post »

As coisas estão passando mais depressa

O ponteiro marca 120

O tempo diminui

As árvores passam como vultos

A vida passa, o tempo passa

Estou a 130

As imagens se confundem…

Muitas coisas aconteceram neste espaço de tempo em que fiquei sem tempo. Mais de duas semanas ausente, sem palavras, sem questionamentos, sem noticias.

Durante o mês de Janeiro estive de férias de muitas coisas. O trabalho foi apenas formalidades e papéis. Estive de férias dos meus problemas, das minhas dívidas, do meu descontentamento descontente, das pessoas pequenas e medíocres, falo assim, porque se pode ser pequeno sem ser medíocre e pode-se ser medíocre sem ser pequeno e na minha vida chega de pessoas assim.

O mês foi produtivo… Me permiti muitas coisas, cuidei de mim. Fiz mais pela minha família, agilizei projetos, entrei em outros, revivi muitas coisas, lembrei de quase tudo…

Esta parte merece atenção especial. O mês de Janeiro foi o mês da resolução. Eu falo de amor no sentido exato e preciso da palavra. Nunca foi segredo que amei e fui amado por duas grandes pessoas. Meu primeiro amor e meu grande amor.

Hoje tenho muita propriedade de falar que é amor, só quem sentiu ou sente sabe do que falo. Amor de renuncia, devoção, crescimento, pulsação, perdão… Após muitos anos o primeiro amor reaparece, brinca com meus olhos e enche minha visão. Tudo como antes, como se o tempo não tivesse passado. Não digo de reviver o amor, digo de lembrar do amor, sem toques ou conotações sexuais. Apenas lembranças e agradecimentos por tudo que foi passado, perdoado, aprendido, conquistado. Foram as palavras conversadas que nos deixou tão próximos.

Respeito!

Acredito ser pecado querer mal quem lhe quer bem…

Partindo deste pensamento chego ao meu grande amor, que deve ter lido ou ouvido isto em algum lugar ou página amarela. Que se fez acreditar, modificar. Sei o quanto duro e pesado foi renunciar o amor. Deve ser uma tormenta indescritível. Mas no pensamento deste amor não se sabe o que se passa, como diz minha mãe – Coração é terra que ninguém anda.

Eu sei que hoje sinto uma calmaria após um turbilhão de sentimentos. Que todos os não que recebi, todas as ofensivas, tiradas e lágrimas funcionaram. O sentimento foi transformado. Respeito, consideração.

No alto dos 25 anos me sinto mais seguro, estável, confiante. Minhas conquistas e preocupações estão caminhando para um lado não esperado, que acredito ser necessário para o profundo amadurecimento do homem.

Já é chegada a hora. É hora da partida.

É o  tempo. . .

Tempo de Francisco, tempo de João, tempo de Santiago, tempo de Gabriel.

Sabe quando precisamos de uma nova boca? Um novo corpo…

Sabe quando é preciso relembrar pra poder esquecer?

Este tempo chegou, sem penas, sem danos ou ônus.

O mês do crescimento foi intenso.

Muita bebida, muitos risos, noites a fio, sem sono, todas as festas, todos os povos. Muitos contatos, alguns beijos, talvez amassos.

Reflexão… É necessário parar pra poder entender.

Entendi as ofensivas que recebi todo este mês. Entendi a intensidade da palavra Amor. Entendi que não vivo sem meus amigos. Entendi que minha mãe é meu bem mais precioso. Entendi que pagar dívidas é fundamental e que ir ao Procon não é nada fácil. Entendi que academia me faz bem. Que cabeça eu já tenho, agora eu quero é corpo. Entendi que ajudar é preciso e que solidariedade se escreve com a alma. Entendi que o barato sai caro e que preciso de um guarda roupas e que se drogar não é legal. Entendi que alguns amigos mesmo não estando ao lado são sempre presentes e que quando os encontramos o coração treme de alegria. Entendi que é preciso tomar um ENGOV antes e outro depois.

Eu aprendi tanta coisa que contar ficaria tedioso, mas se você leu até aqui é porque entendeu o que quis dizer…

Quis dizer que ser intenso faz bem. Que perdoar e se permitir modifica sua vida e te afasta dos remédios viciosos. Abraçar é importante, mesmo quando você olha nos olhos de alguém e sente vontade da morte, de correr, nunca mais aparecer e entende que aquele abraço é um acordo de entendimento.

Como diz Bial, use filtro solar; e eu completo, jamais fique alcoolizado na piscina.

Não ande no escuro nem em rua deserta.

De dinheiro, mas não de intimidade aos que parecem estranhos e tome cuidado com quem você coloca dentro da sua casa.

Visite seus Avós e quem você gosta, pode ser a última vez que você irá ve-los. Diga EU TE AMO há quem você ama sempre que possível, este é importantíssimo e dê flores pra quem você gosta pra que você nunca pense ser tarde demais para fazer sorrir. Acredite em você, sonhe e viva para tornar real, não deixe ninguém dizer que você não é capaz, caso ouça, retribua com o silêncio e dedicação, estas, são as principais investidas para o sucesso. Se case pelo menos uma vez na vida e viva todos os momentos com verdade, você não irá se arrepender por isso. Renuncie por amor, até o limite dos seus valores. Todas as coisas da vida podem se tornar veneno, depende da dosagem.

Estou só a 200 por hora

Tudo passa ainda mais depressa…

Quero pedir desculpas pela ausência, agradeço as ligações e e-mails, batidas nas costas na noite sempre com o mesmo assunto – O CICUTA ESTA DESATUALIZADO. Eu sei que esta, esqueci até a senha, confesso um pouco intencional, foi necessário.

Estou envolvido em outro projeto, estamos em fase de finalização. Não tem nada haver com o Cicuta, este irá permanecer, pois é pessoal, pretendo voltar a postar com mais frequência me dedicar mais, porém, entendam que preciso direcionar minha atenção para algo maior. Não vou revelar agora o que é, vocês devem imaginar, até porque em alguns cantos da noite não se fala em outra coisa, acreditem e desacreditem do que for falado. Este Blog será um dos primeiros a fazer o anuncio do projeto quando for finalizado. Esta é apenas uma explicação pela ausência passada e talvez uma futura ausência.

Minhas férias acabam hoje, ou melhor… Acabaram há 30 minutos atrás, Rs… Estudar, trabalhar e sorrir são minhas obrigações para este ano.

Pra finalizar este compasso de vogais e consoantes . . .

Escolha seus amigos pela alma lavada e pela cara exposta.

Saiba sempre…   Nem tudo funciona de verdade… Cabe a você sorrir e aprender com as desventuras mesmo que sejam em séries.

Muitas palavras, talvez vocês nem queiram ler . . .

Nem Tudo Funciona de Verdade

Daniela Mercury

Composição: Tenison del Rey / Gerson Guimarães

O trânsito enlouquece

O corpo dói

As coisas perdem um dia a validade

Os aparelhos quebram

O amor acaba

Nem tudo funciona de verdade

O novo envelhece

As cartas erram

A vida passa lenta sem vontade

Os aparelhos quebram

O amor acaba

Nem tudo funciona de verdade

A máquina desliga

A tinta solta

O espelho perde um dia a vaidade

Os aparelhos quebram

O amor acaba

Nem tudo funciona de verdade

A moda passa

A malha esgarça

Acaba a graça e a novidade

O tempo corre

A rosa morre

Nem tudo funciona de verdade

A roupa suja

O ferro enferruja

A dor sobrepuja a felicidade

A barriga cresce

A maçã perece

Nem tudo funciona de verdade

Esley Zambel* Versão 2.0

Read Full Post »

 

 

Este último final de semana de 16 a 18 foi em Brasília.

Vamos lá…

Começamos a noite no “boteco” Beirute – lugar histórico da Asa Sul onde é cenário de gente de todos os tipos. Na década de 1970 foi palco de reuniões intelectuais, estudantes e artistas e continua com os artistas e com grande  parte “G” da Capital Federal. O primeiro drink da noite foi o Diabo Verde bebida popular do bar Beirute onde você consegue ficar zonzo com uma única dose pagando apenas R$4.50. Rs¹²³.

Chegada ás 23:00 a próxima parada foi  o vulgo “Gibão” que na verdade é o Estacionamento 6.

Gente PARA TUDO!

Como assim? Estacionamento?

Creiam, morri 3 vezes quando cheguei lá.

Sabe uma Domingueira? É o nível do “Gibão”, gente descompromissada e legal curtindo a vontade.

Funciona da seguinte forma, um estacionamento, com um monte de barracas de comidas e bebidas. Bomba mesmo na sexta e domingo, fica no parque da cidade e você consegue cerveja a R$2.50. Eu curti horrores, muito funk, musica eletrônica e às vezes AXÉ, depende da barraca que você parar, o som é automotivo e a entrada é digrátis, SIJOGA se for lá… EU INDICO.

Foto de celular (desculpa) Mas dá pra ter uma idéia do que é o Estacionamento 6

OBS: Importante, uma dica – não fique até tarde, lá é um esquenta, pré noite, depois das 3h da manhã o clima pesa. RS, ui…

Chegada á 1h da matina o destino foi uma nova casa noturna em BSB chamada DROPS MUSIC BAR.

GENTE PARA TUDO 10 VEZES!

Gorfei horrores… É TUDO! Ain que tenso, estou em Goiânia, eu quero a DROPS na minha vida.

O que é a DROPS?

Festa de sexta dia 15/01

É uma casa noturna com um novo conceito de balada no Centro Oeste, já comum em São Paulo, Rio e Curitiba e que esta se popularizando também em Goiânia.

Toca de tudo – Do Electro ao Samba. Do Rock ao House. Do Pop ao Flashback. Do Funk ao Tribal. TUDO! O forte mesmo é o POP.

A casa é tudo, 3 ambientes com temáticas diferentes, uma área aberta fabulosa.

O serviço de bar é bom, não é tudo, mas os garçons são super atenciosos, os seguranças são fantásticos, alias algumas casas noturnas de Goiânia deveriam mandar os seguranças daqui fazer um cursinho lá, se der, leva os garçons também.

A música é boa, as pessoas são legais os DJs e os vídeos são tudo e eu amei o lugar.

O clima é muito semelhante às festas que tenho freqüentado aqui em Goiânia, sabe as produções da POP HOUSE? Então, digamos que seja uma POP UP e uma CIRCUS só que em uma casa noturna. Entende? Ok.

A DROPS pertence à produtora Vodka Blush das produtoras Andréa Araújo e Samya Barrón, conhecidas como Andie e Mya, que já é conceito no Distrito Federal.

Realmente BSB precisava de um local assim.

Paguei R$20.00 de entrada e você compra cerva por R$3.00 não é open bar.

Fica no PARK SUL ao lado do CasaPark

Promoter Mah – 6193244954

5h da manhã a casa bombando e fomos ver o que estava acontecendo no Estacionamento 6/Gibão, nada né? Como eu disse lá é esquenta e tarde assim o clima realmente esquenta, então bicthes não SIJOGEM até tarde no Gibão ok? Não vou entrar em detalhes porque Brasília tem policia e eles resolvem, ui…. cicutei…

O sábado rolou solto no Clube dos Oficiais não vou indicar porque tem que ser militar ou convidado pra poder entrar, então nem rola, mas o clube é TUDO! Fica atrás do Aeroporto.

Diagnóstico – Brasília não gosta de ALL Star (fui chamado de EMO- há há) o que manda é Nike e Adiddas, salvo é claro, o maravilhoso público da DROPS ahushaushau ADORO!

Brasiliense prefere ANTARTICA do que a SKOL ao contrário dos Goianos.

O flerte rola solto. Os corpos são bombados BEM bombados.

Não vi drogas a minha visão, são educados e AMAM Goiânia. Sim, pasmem, eles são educados, não sei o que acontece quando vem pra cá, mas lá eles são TUDO. (Entenderam né-?)

Inúmeras pessoas perguntaram o porquê que sai de Goiânia pra curtir a noite em Brasília.

Ou seja Goiânia é o que há. Uahauhaua Brasília é TUDO! AMO minha city.

Realmente o público de BSB busca GYN como refugio, o que eles disseram é que Goiânia é perto e receptiva, vindo em grupo fica mais barato do que sair em Brasília. CHOKEI!!

Sejam BEM VINDOS Brasilienses, Goiânia abraça vocês.

Vale ressaltar que sai de Goiânia pra visitar família, a noite foi acidente . Não fui cobrir nenhuma festa, como todos sabem esta não é (“ainda”rs¹²³ – PERIGÓN 2010) a intenção do CICUTA ou a minha –, paguei todas as entradas e bebidas e escrevi porque amei a noite e irei voltar mais vezes.

Dicas do BLOG –

www.dropsmusicbar.com.br
www.twitter.com/dropsmusicbar
www.vodkablush.com
www.twitter.com/vodkablush

Dicas pra Brasília – Endereço/ Gente PARA TUDO é muito complicado achar um lugar nesta cidade, referências e coloquem mapa, pelo amor de Deus.

Beijos e até a próxima!

Ah! Um salve pro Fredsom e sua galera nota 10.

Rafael A.– Você é tudo! Gente pensante na terra.

Douglas, ajuda/referências.

Kisses!

Esley zambel é Brasiliense, neto de Candangos, mora em Goiânia há 10 anos e é apaixonado pelas duas cidades.

Read Full Post »

É chegada a grande hora…

Um novo ano esta por começar e as expectativas para uma nova jornada tomam forma, brilho e cor.

Acredito muito que 2010 será um ano de recompensa. Eu não quero dizer Adeus Ano Velho, porque preciso e faço questão de lembrar de tudo que se passou, isto é o que fará os erros não se repetirem.

Quero agradecer por tudo, todos os livramentos e acidentes. Todos os sorrisos e olhares.

Quero agradecer a cada um de vocês que visitam este Blog, não vou falar de números, porque não é a minha intenção, mas é bom saber que o público é o mesmo, que amizades foram feitas e que a contagem saiu de controle.

Como estamos em um novo ano, nada como começar com coisas novas, então, prometo surpresas, novidades para 2010. vocês irão se surpreender.

E para que tudo flua de uma forma límpida eu convido…

Me abrace! É de graça e faz bem.

Tem tantas pessoas no mundo que precisam de carinho, atenção…

No mínimo um abraço aconchegante. Um abraço é capaz de fazer

milagres na vida de uma pessoa!

Vamos nos juntar, chame seus amigos e abraçaremos as pessoas que tanto precisam.

Será bom para eles e para nós também.

O encontro do “Free Hugs” será no dia

3 de janeiro de 2010 no Parque Flamboyant a partir das 14 horas!

Faça um pequeno cartaz pedindo abraços, seja criativo!

Vamos passar boa energia e torcer para que 2010 seja um ano

maravilhoso! Abrace você também essa causa! \o/

acesse o linkhttp://www.youtube.com/watch?v=vr3x_RRJdd4

Feliz Ano Novo
Glückliches Neues Jahr
Nytar
Feliz Año Nuevo
Felicigan Novan Jaron
Heureuse Nouvelle Année
Feliz Aninovo
Shaná Tová
Happy New Year
Felice Nuovo Anno
Akemashite Omedetou Gozaimasu

 

Feliz ano novo…


De repente, num instante fugaz, os fogos de artifício anunciam que o ano novo está presente e o ano velho ficou para trás.

De repente, os olhos se cruzam,
as mãos se entrelaçam e os seres humanos,
num abraço caloroso, num só pensamento,
exprimem um só desejo e uma só aspiração:
 

PAZ E AMOR.

De repente, não importa a nação, não importa a língua, não importa a cor, não importa a origem, porque todos são humanos e descendentes de um só Pai, os homens lembram-se apenas de um só verbo: amar. 

 De repente, sem mágoa, sem rancor, sem ódio, os homens cantam uma só canção, um só hino, o hino da liberdade.

De repente, os homens esquecem o passado, lembram-se do futuro venturoso, de como é bom viver.

De repente, os homens lembram-se da maior dádiva que têm: a vida.  

De repente, tudo se transforma e chega o ano radiante de esperança, porque só o homem pode alterar os rumos da vida.

Viva, grite, acumule alegria.

2010 É O ANO DA CONQUISTA…

Que possamos ser julgados pelo caráter, não pela cor, raça, sexualidade, religião. . .

Amor pleno a todos.

 

 

 

Esley Zambel* Aguardem – Versão 2.0 tração nas 4 rodas

Read Full Post »

Etimologia

A palavra ‘natal’ do português já foi ‘nātālis’ no latim, derivada do verbo ‘nāscor’ (nāsceris, nāscī, nātus sum) que tem sentido de nascer. De ‘nātālis’ do latim, evoluiram também ‘natale’ do italiano, ‘noël’ do francês, ‘nadal’ do catalão, ‘natal’ do castelhano, sendo que a palavra ‘natal’ do castelhano tem sido progressivamente substituída por ‘navidad’ como nome do dia religioso.

Já a palavra ‘Christmas’ do inglês evoluíu de ‘Christes maesse’ (‘Christ’s mass’) que quer dizer missa de Cristo.

****

Então Natal é renascimento, celebra-se a vida!

Alguém poderia me explicar que músicas são aquelas que tocam nas lojas Americanas de todo País?

Para tudo! Não entro mais lá até Fevereiro. Me deu depressão. Agonia. Pânico. Que horror! Me despertou todos os sentimentos ruins, menos de vida. Coisa triste.

Queria entender porque que no Natal as pessoas ficam boas e sensiveis. Fazem promessas e planos de mudanças.

No próximo ano vou emagrecer / Começar a academia / Parar de fumar / Parar de beber, ou beber menos / Arrumar um novo emprego / Namorar / Esquecer o (A) ex / Ter mais tempo pra familia / Viajar / Transar mais

E blá blá blá…

Coisa chata! Este fim de ano me peguei com um super projeto filantrópico de ajuda ao lar dos velhinhos de Goiânia, estou organizando tudo, uma equipe super dedicada, mobilizamos toda a empresa em prol do próximo. Todo ano faço isso,  só no final do ano. Porque?

Velhinhos não sentem frio durante o ano?

Crianças não passam fome no mês de Junho?

As pessoas com câncer dão gargalhadas o ano todo, só ficam tristes em Dezembro?

Ai que hipocrisia a minha. Tudo bem! Em outros anos eu fiz alguns trabalhos sociais durante o ano, gosto e me faz bem ajudar o próximo, dar suporte a quem precisa, mas Dezembro parece que perdeu a graça.

A cidade fica mais bonita, iluminada. O horário de verão serve pra isso. Direcionar a energia para as luzes de Natal. E só.

Também… Na maior parte do ano somos tão injustos com nossas vidas.

Ficamos ensaiando e fitando coisas. Esperando o tempo resolver.

Que tempo é este que não chega? Não ouço o barulho do Tic Tac. Os ponteiros estão tetraplégicos. A pilha acabou. Você dá corda? 

Silêncio!

Com toda licença poética.

Vejo joelhos dobrados. Mãos cruzadas.

Velho é o escuro do seu quarto.

Sinto sua dor. Ouço sua respiração.

Pagão!

Minha culpa. Minha máxima culpa! DEVOÇÃO!

—–

Nossa! Viajei legal. Desculpa, eu precisava.

Pedindo… É o que fazemos no Natal. Pedir.

Um monte de pedintes hipócritas, egoístas. É o que somos.

Natal nada mais é que uma data comercial que faz o capital girar, afinal de contas o 13° serve pra isso, presentear, comprar, comprar, comprar. Decorar a casa com luzes de Natal, jogar fora as coisas velhas, comprar coisas novas.

E as lembranças nas caixinhas que ficam no fundo do guarda roupa, o que faremos com elas?

Jogamos fora e compramos outras?

Guardamos e esperamos morrer?

Estes dias estava lendo uma crônica que aconselhava jogar o velho fora para dar lugar as coisas novas. De certa forma tem sentido. Mas tem coisas que não se pode jogar fora. Principalmente no fim de ano.

Deve ser pecado. Eu não quero mais pecados. AVE MARIA!

Este ano vou manter as caxinhas. Ainda não estou pronto pra jogar coisas fora. Eu acredito muito em história. Principalmente quando são dramáticas e irônicamente belas.  

Ontem assisti New Moon – Filminho de Emo né? Me identifiquei muito com a história. Me peguei em alguns momentos dentro do filme.

Meu voto seria não. Bella não deve se transformar. O Amor cega.

Por isso tenho certeza que não posso jogar coisas fora. Eu preciso delas perto de mim. Mesmo sem ver. Como uma árvore de Natal velha que só nós sabemos o porque guardamos e qual significado tem. E quando montamos ela, esta possui uma beleza incomparável e ficamos com olhos lacrimejando, olhando, lembrando por horas aquele tempo que nos fazem respirar e apertar o ar.  Os sentimentos se misturam, vem alegria e arrependimento, vontade de ficar e ao mesmo tempo caminhar. Uma renovação indescritivel e uma lembrança do passado que teima em ficar.

Sei que passa, já passei por isso e isso já passou por mim.

 

Dica do Post – http://www.youtube.com/watch?v=ZF5RiN6lF7s

Mesmo que seja pelo mesmo.

Esley Zambel* Então é Natal?

PS: Texto sem revisão – Errinhos e errões

Read Full Post »

androgeno

Complicado esta história de relação humana.

O período pelo qual passo neste momento é de descoberta. Confesso – É uma fase muito GOSTOSA no sentido literal da palavra.

Tenho descoberto pessoas interessantíssimas antes nunca vistas pelos meus olhos. Falo pelos olhos porque na maioria das vezes enxergamos com o coração.

O corpo

Sempre falei que sou um pesquisador do prazer. E nestas últimas semanas descobri coisas que jamais haviam passado pela minha cabeça sentir.

Me peguei constrangido perante o espelho com uma visão limitada. Sempre fui uma pessoa imediatista, ou seja, chegar ao prazer era o mais importante e o prazer seria o gozo finalizado. Sou Ariano e o que importava pra mim era a quantidade. Entro em pânico por pensar se meus envolvimentos tiveram qualidade, ainda não consegui chegar há uma resposta. O que sei é que aprender e se permitir faz bem.  

Me pego eufórico em saber que uma pessoa é capaz de te deslocar na cama, coisa que eu pensava fazer com quem acorda ao meu lado. 

A mente

Na quarta dia 11/11 tive um diagnóstico. Resistência a irrealização, porém, com forte resiliência. Prescrição – 1MG de Aprazolan ao deitar e encaminhamento psicológico.

Deixando a patologia de lado vamos entrar na cognição tentando mesclar o lógico e o psicológico (não tem como fugir da patologia- Rs).

Sempre afirmei e tentei manter meus princípios e valores, nestes últimos dias me peguei tentado a deixar certas moralidades (que são minhas) de lado. Tudo por encontrar pessoas interessantíssimas que te deslocam de um eixo para outro e te tenta a realização.

Quando se permitir?

Uma dúvida cruel, logo pra mim que digo pra todos PERMITA-SE! ISTO BASTA! Me pego meio a uma tempestade sendo obrigado a avaliar e refletir sobre procedimentos e vontades de uma pessoa interessante. Não! Eu não vou revelar as idéias, até porque a identidade deste pessoa é sigilosa.

Ainda não consegui tirar respostas plausíveis que possa me permitir ou bloquear tais intenções.

O que impede?

Danos psicológicos, materiais, físicos e financeiros. Esta resposta normalmente é a que damos ao término de uma relação conturbada quando somos questionados.

O que me permite?

Experiência humana. Não tirar a história da cabeça. Ser deslocado. O risco de ser prazeroso. O desafio (este tem maior peso).

A tentação é presente o tempo todo. Propostas todos nós temos. Quando saber se vale a pena ou não? Entramos na vida de pessoas o tempo todo, desde a fila da padaria ao beijo da noite naquela boca gostosa que pede mais.

Gosto de ter a honestidade em primeiro lugar, nestes últimos tempos tenho encontrado pessoas com o mesmo pensamento que dizem assim: – Melhor falar agora do que deixar pra depois, porque depois fica mais difícil.

E o depois é onde pesa.

Nem sei até onde vai este papo ou este fato. Nem sei se tenho um caso, um rolo, um conto ou um passa tempo. Talvez eu tenha é tempo demais pra pensar nestas coisas.

Você aprende com os acertos e acidentes que percorre sua vida? Consegui assumir seus erros e reforçar os acertos? Você é honesto?

Sempre fui alvo de amigos  – O CARA BOM PRA DESABAFAR! Ouço, ouço, ouço e nem sempre sou ouvido. O mês passado e este mês foram PANK’s! Parece que todos os amigos e alguns ex rolos e namoros resolveram me tirar como terapeuta. A maioria deles com conflitos amorosos. Ora! Eu não sou uma referência em relação, tenho os mesmo problemas que todo mundo. Fiz este questionamento a um dos meus amigos e sabe qual foi resposta? – É que você é feliz sozinho. Como faz?

Seria cômico se não fosse trágico e trágico se não fosse ridículo.  

Eu apenas não fico pulando de galho em galho em desespero atrás de alguém para dividir minhas emoções. Entendo que nem todo beijo é pra se repetir. Nem toda ligação no dia seguinte é pra apaixonar. Nem todo sexo é pra casar (peço licença ao Jabuor).

E esta atitude não é por cicatrizes de relações passadas. É que não sou carente ao ponto de destruir meu dia por um não. Eu me permito até com as pessoas de 17 anos. Não tenho restrições, eu tenho pés no chão é diferente. Eu sinto falta? Sim. Todos querem alguém pra sorrir.

Eu consigo sorrir sozinho esta é a diferença. Quando eu encontrar alguém pra sorrir comigo, será mais fácil.

Conselho – Deixe o mau humor de lado e acorde disposto a sorrir. Faço isso quase todos os dias. Sou capaz de acordar ás 6:15 da manhã dançando Lady GaGa e cantando Ivete Sangalo e vendo meu amigo que divido APT me olhar incrédulo imaginando – COMO ISTO É POSSÍVEL? Ele é surreal.

Com tudo isso só quero dizer que acredito que o problema esta em nós, não nos outros. Então resolva.

 corrupto

O coração

Sempre faltam palavras quando se fala de amor. . .

Alguns poetas falam que pra descrever fatos de amor é preciso passar por ele, se afogar, morrer de amor.

Aos 25 anos eu já tive amores, inúmeros deles. Eu já morri de amor e pretendo morrer ainda mais. O bom da vida é isso, poder experimentar, terminar e começar.

Começar, esta ai um erro. Não gosto da idéia de começar, recomeçar. Não seria melhor partir de onde paramos? Porque assim é mais provável que os erros não se repitam. É por isso que hoje falo: – Eu não quero mais seu amor, seus avais e pare de por reparos em mim. Eu quero coisa nova, problemas novos, uma boca nova.

Eu falo isso para o que passou e que só merece memória. Lembrança e nada mais.

O amor envaidece a gente. Já percebeu que quando temos alguém nas mãos as coisas mudam de figura? Nos sentimos desejados, isso é bom não vou negar. Porém, é necessário lembrar que somos eternamente responsáveis por aquilo que cativamos, já dizia O Pequeno Príncipe.  

As coisas se delongaram demais. Falei o que devia e o que não devia. Se você chegou até aqui PARABÉNS! Espero ter ajudado em algo. Eu estou melhor agora e você?

Tudo me é permitido, mas nem tudo me é conveniente! Vamos tentar?

Hipérboles, jactâncias e esporros.

“Tenho estado meio assim, meio assado
tenho andado meio voando, meio parado
completamente amuado, coitado
acho que estou acabado…
meio sentado, meio de pé
a merda da poesia estragou meu café…”

 

Ah! E esta semana não estou triste. É que estou cansado. Me adaptando.

 

Baile de Máscaras 127

 

Esley Zambel* nos lances da vida  

Read Full Post »

Older Posts »